COMBATE AO AEDES

FMS recolhe mais de 80 mil pneus de pequenas borracharias em 2018

Os pneus podem ter quatro técnicas de reaproveitamento e diferentes destinações

FMS recolhe mais de 80 mil pneus de pequenas borracharias em 2018

Com o intuito de proteger a população contra o Aedes aegypti, a Fundação Municipal de Saúde (FMS) de Teresina realiza um trabalho com um objeto que pode se tornar um dos principais pontos de reprodução do mosquito: os pneus usados. Em Teresina, este material é recolhido diariamente e enviado para uma empresa de reciclagem, por meio de convênio com a Prefeitura de Teresina. Em 2018 foram recolhidos 80.735 pneus pela Gerência de Zoonoses da capital. 

Os pneus merecem atenção especial por sua capacidade de acumular água parada, ambiente de criadouro do mosquito transmissor da zika, dengue e chikungunya. Pensando nisso, a FMS mantém dois caminhões, além dos carros de supervisão dos agentes de endemias, percorrendo diariamente vias, logradouros públicos e cerca de 300 pequenas borracharias cadastradas para recolher este material. Esses locais cadastrados são pontos estratégicos já monitorados pela Gerência de Zoonoses de Teresina e fazem parte do Programa Nacional de Controle da Dengue. 

“Não é que a Fundação Municipal de Saúde vá recolher de todos os locais onde comercializa ou distribua pneus, pois conforme resolução do CONAMA (Conselho Nacional do Meio Ambiente) quem produz, distribui e comercializa é responsável pelo destino adequado dos pneus. Entretanto, dentro do Programa de Controle da Dengue é estabelecida estratégia de recolhimento das pequenas borracharias e locais onde os supervisores da zoonoses detectam pneus inservíveis”, informa a gerente de Zoonoses da FMS Oriana Bezerra.

 À população é pedido que não faça o descarte dos pneus em via pública, e ao invés disso os entreguem às borracharias para que sejam recolhidos. “Todos os dias, nós recolhemos os pneus que não podem mais de jeito nenhum serem reaproveitados”, conta Oriana Bezerra. Se preciso, é feito ainda o uso de larvicida e também do UBV, máquina pulverizadora de inseticida. Também é realizado um trabalho educativo com os proprietários. 

Uma vez recolhido, o material é levado para a empresa responsável por sua reciclagem, a Borracharia Bom Fim. Os pneus podem ter quatro técnicas de reaproveitamento e diferentes destinações. “Ele pode passar pelo processo de trituração e se tornar combustível para a fabricação de cimento. Na laminação, ele se torna matéria prima de fabricação de móveis e estofados. Já na granulação, eles são comprados por empresas para a manutenção do gramado de clubes society, e podem ainda ser usados na fabricação de artefatos como cadeiras e baldes”, explica Oriana Bezerra.  

Enquanto a FMS realiza o recolhimento em pequenas borracharias, as grandes realizam a reciclagem por meio do projeto ReciclANIP, da Associação Nacional da Indústria de Pneumáticos. Por lei, elas são responsáveis pela destinação de seus pneus, seguindo a determinação chamada Logística Reversa. Pela resolução do CONAMA nº 258/99, os fabricantes e importadores de pneus devem coletar e dar destinação final a eles. Além disso, os distribuidores, revendedores, reformadores e consumidores finais são corresponsáveis pela coleta dos pneus usados. Ou seja, a logística reversa faz com que a indústria que produz o material consiga recolhê-lo e reutilizá-lo dentro do seu ciclo produtivo. 

“Mesmo que a água seque, os ovos têm a capacidade de sobreviver por até 45 dias em ambientes secos, por isso os pneus podem se tornar veículos de viagem do mosquito e disseminar as doenças uma vez que encontrem água novamente, mesmo que seja o equivalente a uma colher de chá”, expõe Oriana Bezerra, gerente de Zoonoses. Além disso, são objetos de grande capacidade poluidora quando descartados erroneamente, seja em rios ou terrenos.

Tags:
zoonoses pneus fms

Comentários (0)


 
 

Fundação Municipal de Saúde de Teresina - FMS

Endereço Web: http://fms.teresina.pi.gov.br/noticia/2399/fms-recolhe-mais-de-80-mil-pneus-de-pequenas-borracharias-em-2018