REUNIÃO

Órgãos de saúde discutem fluxo de atendimento ao paciente com hanseníase  

Em Teresina no ano de 2016 foram diagnosticados e tratados 302 casos de hanseníase

Órgãos de saúde discutem fluxo de atendimento ao paciente com hanseníase   

Profissionais da área da saúde e do Movimento de Reintegração das Pessoas Atingidas pela Hanseníase (Morhan) estiveram reunidos hoje, 5, na sede da Fundação Municipal de Saúde (FMS) para tratarem sobre o fluxo das cirurgias ortopédicas para tratamento de sequelas em consequência da hanseníase. Representantes do Ministério da Saúde, FMS, Secretaria Estadual da Saúde e Hospital Universitário participaram do encontro. 

“A reunião foi em virtude de uma capacitação que houve esta semana para abordar a temática de reabilitação ortopédica do paciente com Hanseníase. Esse tipo de discussão é importante no sentido de estabelecer o tratamento corretivo dos pacientes portadores de Hanseníase, em virtude de terem sido diagnosticados tardiamente já desenvolveram alguma sequela, que são das mais variadas possíveis. E muitas vezes o paciente precisa mesmo de uma correção ortopédica, as vezes até uso de prótese, em casos de amputação”, diz Carlos Gilvan, chefe do Núcleo da Doenças Negligenciadas da FMS. Ele falou ainda que o Hospital Universitário (HU) será a unidade referência para encaminhamento dos pacientes com hanseníase da capital. 

Em Teresina no ano de 2016 foram diagnosticados e tratados 302 casos de hanseníase, sendo que 92% das pessoas alcançaram a cura. Em 2017, dados parciais indicam que 295 pessoas foram diagnosticadas e tratadas da doença, com 80% de cura. “Esse ano de 2017 ainda não fechamos os dados, pois aqueles pacientes diagnosticados no final do ano ainda estão em tratamento e posteriormente estrarão nos dados”, explica Carlos Gilvan.  


Comentários (0)


 
 

Fundação Municipal de Saúde de Teresina - FMS

Endereço Web: http://fms.teresina.pi.gov.br/noticia/2150/orgaos-de-saude-discutem-fluxo-de-atendimento-ao-paciente-com-hanseniase