MATERNIDADE

Maternidades mantém consultórios de acompanhamento para a amamentação

A função é dar o apoio necessário para assegurar uma amamentação e introdução alimentar de forma saudável.

Maternidades mantém consultórios de acompanhamento para a amamentação

 

O Agosto Dourado é uma campanha voltada para a conscientização sobre a importância do leite materno, que deve ser o único alimento de bebês até os seis meses. Em Teresina, a amamentação e nutrição nos primeiros anos de vida são acompanhadas pelos consultórios de aleitamento materno, presentes nas maternidades do município.

 

A função do consultório de aleitamento materno é dar todo o apoio necessário para assegurar uma amamentação e introdução alimentar de forma saudável. Logo após o parto, a mãe recebe o acompanhamento dos profissionais de nutrição, que ensinam a melhor posição para colocar o bebê no peito, como deve ser a pega da mama e tiram as dúvidas que possam aparecer. Quando recebe alta, ela sai da maternidade com o encaminhamento para que volte entre o sexto e décimo dia, e iniciar seu acompanhamento que acontece mensalmente até o sexto mês de vida.

 

Na consulta, a mãe é avaliada e deixada à vontade para expor todas as suas apreensões, dúvidas e dificuldades. Além disso, o bebê é avaliado para verificar se cresceu e ganhou peso conforme o esperado para sua idade. “O suporte é muito importante neste período, por isso devemos mostrar para ela que estamos à disposição para ajudar nas dificuldades que se apresentarem durante esse processo, que ela volte para ter ajuda”, comenta Ruth Pádua, nutricionista da Maternidade do Buenos Aires.

 

Ela explica que o leite materno deve ser o alimento exclusivo até o sexto mês de vida do bebê, e dispensa até mesmo a ingestão de água. “O aleitamento deve ser em livre demanda, na hora que o bebê quiser. Porque o bebê pode até ter mamado uma hora atrás e estar de barriga cheia, mas ele pode estar com sede, e ele mama um pouquinho e recebe a água para se hidratar”, justifica Ruth Pádua.

 

Após os seis meses, o foco das consultas passa a ser a introdução de outros alimentos para complementar o leite materno, que embora completo já não supre totalmente as necessidades da criança. “Nesta idade, é necessário complementar com papas, a de frutas e a salgada, e aí a cada período, a cada idade a gente vai modificando a consistência, a qualidade e a quantidade”, diz Lavínia Andrade, nutricionista da Maternidade Wall Ferraz.

 

O atendimento segue continuado até os dois anos, quando a criança já deve estar comendo de tudo. A nutricionista da maternidade do Satélite, Luciana Ribeiro, frisa a importância do acompanhamento adequado nesta primeira etapa da vida. “É uma fase determinante para o futuro da criança. Se ela tem esses dois anos muito bem cuidados, a base de saúde é diferente de uma criança que não mamou e esteve sujeita a doenças com menos de dois anos”, diz.

 

Cristiane Barros levou a pequena Luna, de três meses, para acompanhamento na Maternidade do Buenos Aires. Ela conta que sua filha teve certa dificuldade no início mas que após os ajustes agora mama sem problemas. “Estou preocupada porque vou voltar a trabalhar no outro mês, então vim saber como posso fazer para tirar leite do peito e deixar em casa para minha filha”, diz. Ela recebeu orientações sobre como extrair o leite e armazenar em frascos devidamente higienizados, que devem ser congelados e aquecidos em banho-maria no momento da alimentação. No congelador, o leite pode ser conservado por 15 dias; na geladeira, por até 12 horas.

 

Já Carla Patrícia deu a luz aos gêmeos Victor Gabriel e Victor Rafael há três dias, e recebeu no leito da maternidade do Satélite toda a orientação sobre como amamentar. “São meus primeiros filhos, mas não tive problemas. O pessoal veio aqui, me ensinou como dar de mamar, a fazer a massagem no peito (para estimular a produção de leite) e também que tenho que dar à vontade”, conta.

 

Doação

 

Durante as consultas no consultório de aleitamento materno, as mães com excesso de leite são convidadas a realizar a doação. Três das quatro maternidades do município contam com postos de coleta de leite. Para doar, a mãe deve ser saudável, não usar medicamentos que impeçam a doação e se dispor a ordenhar e a doar o excedente. Elas recebem um kit com gorro, luvas, gaze e frasco etiquetado para conservar o leite, que será recolhido regularmente em casa por um motoboy.

 

O leite recolhido é encaminhado para a maternidade Evangelina Rosa, onde ele é pasteurizado – processo em que o leite é submetido a uma temperatura de 62,5 graus por 30 minutos, para que se eliminem os micróbios não desejados. Depois são feitos testes e controle de qualidade. Uma vez estando apto para consumo, o leite é congelado para ser distribuído para os bebês que necessitam de leite, com prioridade aos prematuros (bebês abaixo de 2500g independente da idade gestacional). O leite pasteurizado congelado tem validade de até seis meses.

 

 

Agosto Dourado

 

O Governo Federal instituiu a campanha "Agosto Dourado", tem objetivo de conscientizar a sociedade sobre a importância da amamentação. A Lei 13.435/2017 prevê a iluminação de prédios públicos com a cor dourada, a promoção de palestras e eventos e a divulgação de informações no rádio, na TV e na internet sobre os benefícios do aleitamento materno.

Tags:
fms

Comentários (0)


 
 

Fundação Municipal de Saúde de Teresina - FMS

Endereço Web: http://fms.teresina.pi.gov.br/noticia/2030/maternidades-mantem-consultorios-de-acompanhamento-para-a-amamentacao